quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

TRÁFICO DE PESSOAS; UM DESAFIO PARA NÓS!



No dia 18 de janeiro, o Lar Santa Mônica abriu suas portas para sediar um dia de reflexão liderado por Gabriella Bottani, missionária camboniana, com o tema: “Tráfico de Pessoas, um desafio para nós.

A Irmã Gabriella faz parte do movimento internacional "Um Grito pela Vida", que no Brasil já está presente em 17 estados.

Na primeira parte da manhã, participaram da palestras as meninas abrigadas no Lar Santa Mônica. Através de dinâmicas, a Ir. Gabriella foi despertando nas meninas o interes
se em lutar pelos próprios sonhos e de se lutar juntos para consegui-los.

Na parte da tarde, já sem as meninas, nos detemos mais sobre a questão dos dados acerca do tráfico de seres humanos, essa dura realidade que afeta centenas de mulheres na cidade de Fortaleza. Nesse momento da tarde, participaram da palestra membros das entidades do Condomínio Espiritual Uirapuru (CEU), da Prefeitura de Fortaleza (FUNCI), da Rede Aquarela (Órgão vinculado à Secretaria de Direitos Humanos da Prefeitura de Fortaleza que trabalha na capital cearense na rede local de enfrentamento contra a violência sexual que sofrem crianças e adolescentes).

Todos procuraram o conhecimento mútuo e a criação de vínculos que tornassem mais frutífero o trabalho de cada entidade defensora dos direitos de crianças e adolescentes.

Em seu diálogo, a Ir. Gabriella nos deixou alguns dados importantes, que apresentamos a seguir na forma de slides. No final dos slides, você encontrará a interessante montagem “Gaviotas”.






































video

sábado, 21 de janeiro de 2012

LSM 2010 - 2011: ESTADÍSTICAS DO ABUSO SEXUAL

Continuamos apresentado algumas informações para ajudar nossos leitores a entender melhor o trabalho que está sendo feito no Lar Santa Monica.
Alguns dias atrás,  apresentamos um gráfico no qual  mostramos os problemas pelos quais se  necessitam de uma acolhida institucional, na maioria dos casos  abuso sexual.

SAS: Suspeita de Abuso sexual
ES: Exploração sexual
AS: Abuso sexual
SR: Situação de rua 
NF: Negligência familiar
NFA Negligência  familiar e abandono
SES: Suspeita de explotación sexual






A média de idade  das meninas / adolescentes  que são recebidas no Lar Santa Mônica é de  cerca de 11 ou 12 anos. Mas o LSM já acolheu também meninas de 5 anos, chegando a mais velha a ter 16 anos.

O Lar Santa Monica é uma Centro de Acolhida Institucional, considerado pelo Conselho Nacional de Assistência Social como uma "Unidade de Alta Complexidade". E não é para menos. Ali se trabalha para restaurar a dignidade humana e direitos como cidadãos de todas estas crianças / adolescentes e suas famílias. Até o momento, 42 meninas encontraram­ ­- ou estão encontrando -  uma oportunidade de reconstruir suas vidas e de sonhar com um futuro melhor.

A maioria dessas 42 meninas  são oriundas de Fortaleza. Mas também chegamos a atender  alguns casos de municípios vizinhos, o que chamamos de "Grande Fortaleza".

quinta-feira, 19 de janeiro de 2012

Ajudafortaleza aportou R$ 50.000,00 no 2011

Carta do Presidente e Conselheiros da Associação Ajudafortaleza da Espanha:

Queridos amigos, parceiros e colaboradores:
Os meses de dezembro e janeiro são tradicionalmente meses de reuniões familiares, festas, mini-férias, e descontos.

Mas para nós o mês de dezembro e até agora em janeiro e o restante foram e são o tempo de pedir-lhe seu apoio e solidariedade, lembre-se de que em dezembro pedimos para que somásse conosco na campanha para arrecadar celulares usados que organizou a ONG "La Esperanza" junto com APYMA em favor de um projeto que irá desenvolver no Kamabai a missão de melhorar o estado nutricional de crianças que frequentam as escolas da missão, que irá criar uma fazenda de gado. Uma campanha que resultou na coleta e entrega de 311 aparelhos para este projeto.
No final de dezembro,viemos mais uma vez pedir sua ajuda, desta vez para atender  uma necessidade para o lar Santa Mônica: fornecer material escolar para as meninas abrigadas na instituição e as crianças que participam de projetos sociais em Fortaleza. E  é por isso que lançamos a campanha  Presente de Reis, que por sua vez responderam com tanta generosidade e solidariedade que tem nos surpreendido.  Arrecadamos já 1.374 euros , sendo que em apenas uma doação recebemos 500 euros.
Bom, agora queremos convidá-lo para um Festival no dia 27 de fevereiro no Conservatório Profissional de Música de Getafe (Espanha), que nos cedeu suas maravilhosas instalações.
O auditório tem capacidade para 400 lugares, e gostaríamos que não houvesse nenhum   lugar vazio.  Por isso, pedimos para que participe e traga sua família e amigos para lhe fazer companhia. Será cobrada uma taxa de 3 Euros, que serão doados em favor das necessidades do Lar Santa Mônica. Em anexo, enviamos a cópia do cartaz com a propaganda do evento.
Por último, quremos informar que depois de ter encerrado o período de 2011, podemos afirmar que nesse ano enviamos de forma direta ou através de transferências, 20.000 euros (R$ 46.000,00) para diferentes necessidades do Lar Santa Mônica. Além de mais 1.000 Euros em diversos materiais. Todos esses dados vamos informar com mais detalhes quando fizermos o balanço anual.

Esperando ver muitos de vocês no próximo dia 27, mandamos um forte abraço.

Conselheiros da Associação Ajuda Fortaleza e Presidente,
Manolo Recio.

sexta-feira, 13 de janeiro de 2012

GAROTAS BRASILEIRAS NO EXTERIOR: PRINCESAS OU CINDERELAS?

 O jornal Diário do Nordeste publicou esta semana uma série de reportagens sobre tráfico/exploração sexual de mulheres brasileiras no exterior. Apresentamos um resumo desta matéria. As pessoas interessadas podem conferir no link no final da materia.






Em busca de um projeto de vida, elas saem do país.
Os sonhos fazem parte do imaginário das mulheres. Casar com um príncipe encantado, ter uma família, ser independente e conhecer outros países são os principais ideais delas.
Muitas, em busca de um projeto de vida, acabam se aventurando em uma mudança para o exterior. Elas só querem a oportunidade de uma vida melhor que não encontraram no Brasil. Um sonho que não foi posto, mas que vem de uma necessidade. Elas vão em busca de afeto, de auto-estima e de trabalho. Algumas poucas têm a sorte de encontrar um grande amor e conseguem o sucesso financeiro.

Mas tantas outras acabam indo atrás do sonho que nunca existiu e encontrando a violência, os maus-tratos, a humilhação e a prisão. E elas passam a engrossar a lista das estatísticas do tráfico, sobretudo para países europeus, como Itália, Espanha e Portugal. Daí, o mundo da Cinderela cai. As histórias são tristes, chocantes e se repetem. Muitas mulheres terminam sem chance de retomar suas vidas e, em algumas exceções, a solução chega seja por via judicial ou natural.

De acordo com o Censo 2010, no ano retrasado 7.213 mulheres migraram para outros países. E é para a Itália que elas mais vão. Foram 1.597 em 2010. Em segundo lugar está Portugal, com 989 mulheres que deixaram o Brasil por terras lusitanas.
A superintendente do Núcleo de Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas (NETP), Andreia Costa, explica que o Estado vive uma realidade de pobreza e é nesse contexto que as propostas de ir para exterior surgem. "Quando elas aceitam, acabam contraindo uma dívida estrondosa com a rede criminosa. Algumas conseguem se prostituir sem cair numa organização de tráfico. O problema é quando elas são escravizadas. O tráfico é uma nova forma de escravidão de pessoas", destaca.
Apesar de algumas mulheres, imbuídas de um sonho, saberem que vão para exterior para trabalhar como prostitutas, em certas situações, elas não têm a exata noção do que terão de enfrentar em um país desconhecido. Quando traficadas, passam a viver em cárcere privado, têm documentos retidos e sofrem todo tipo de violência.

Mas isso pouco importa para essas mulheres desesperadas por realizar um projeto de vida que, para elas, vai dar uma vida mais digna para a família e filhos que deixam no Brasil.

O grande desafio para frear os casos de tráfico de mulheres é garantir uma situação sócio-econômica capaz de tirar delas a idéia de se aventurar numa ida a outro país.
Todos somos responsáveis: os políticos, a sociedade, as ONGs, as igrejas, etc. E todos deveremos contribuir para que estes e outros males do Brasil desapareçam. Quanto mais cresce a economia da “potencia” que é o Brasil, mais cresce a desesperança nos olhos dos pobres, das crianças, dos jovens, dos idosos... As jovens no Brasil não precisam sonhar com um príncipe encantado na Europa ou nos EE.UU. Elas tem direito a sonhar com ser “princesas” aqui, na terra delas. Isto passa pela melhora da educação nas escolas publicas, a criação de facilidades para estudar nas universidades publicas, uma justa distribuição da renda que chegará quando os salários sejam mais justos, a promoção da cultura, da ética e da religião, etc.

http://diariodonordeste.globo.com/materia.asp?codigo=1091625

A materia em espanhol em: http://ayudafortaleza.blogspot.com/2012/01/chicas-brasilenas-en-el-extranjero.html