sábado, 22 de junho de 2013

OMS: INFORME DA VIOLÊNCIA CONTRA A MULHER

Hoje é um daqueles dias em que a leitura dos jornais nos leva a questionar o progresso da humanidade. A Organização Mundial da Saúde (OMS) publicou uma série de documentos divulgados nesta quinta-feira, 20/06/2013, que afirma que um terço das mulheres em todo o mundo foram vítimas de agressão física ou sexual por parte de seu parceiro atual ou passado, de acordo com o primeiro relatório mundial sobre a violência contra as mulheres.
     Especialistas estimam que cerca de 40% das mulheres que morrem em todo o mundo foram mortas por seus parceiros; e que as agressões  dos parceiros eram a forma mais comum de violência sofrida pelas mulheres.
     "A violência contra as mulheres é um problema de proporções epidêmicas no mundo da saúde", disse a diretora-geral da OMS, Margaret Chan, em uma declaração.
     A OMS define a violência física, como, por exemplo, o  ser golpeada, empurrada, espancada, estrangulada ou sendo atacada com uma arma. A agressão sexual foi definida como ser forçada fisicamente a ter relações sexuais; ter relações sexuais por medo do que possa fazer o seu parceiro ou ser obrigada a fazer  algum ato sexual humilhante ou degradante.
     O documento da OMS também analisa as taxas de violência sexual sofrida pelas mulheres nas mãos de outra pessoa, sem ser o seu companheiro, e constatou que 7% das mulheres do mundo já havia sido abusada.
     Além disso, a OMS emite diretrizes para que as autoridades detectem problemas mais cedo e disse que todos os trabalhadores de saúde devem reconhecer quando as mulheres estão em risco e como responder corretamente.
     O relatório global da OMS constatou que 30% das mulheres são afetadas pela violência familiar ou sexual por um parceiro. O relatório é baseado em grande parte nos estudos de  1983 até 2010. Estudos das Nações Unidas mostram que mais de 600 milhões de mulheres vivem em países onde a violência familiar não é considerada um delito.
     África, Oriente Médio e Sudeste da Ásia têm os mais altos índices de violência familiar contra as mulheres: 37% foram vítimas de abuso físico ou sexual por um parceiro íntimo em algum momento de suas vidas. A taxa foi de 30% na América Latina e 23% na América do Norte. Na Europa e na Ásia, o índice foi de 25%.
     Os números no Brasil são arrepiantes: apenas em casos de violência sexual, o Sistema Único de Saúde (SUS) reuniu mais de uma média de dois casos por hora ao longo de 2012 (18.007 vítimas). Cerca de 75% eram meninas, adolescentes e idosas. Nos últimos seis anos, o número de reclamações aumentou em 526%

     É necessário, em primeiro lugar,  defender as vítimas, ajudá-las  a se recuperarem  de suas feridas externas e internas. Mas isso não é suficiente, a sociedade deve ser organizada de modo que violações semelhantes não ocorram mais: é necessário educar crianças e adolescentes no  respeito e no amor, fornecendo recursos educacionais para as famílias, criar estruturas de leis eficazes de relatórios e de dissuasão. Esta é a tarefa de todos nós: governos, escolas, Igreja, ONGs ... Juntos, para que isso não aconteça!

AVISAMOS que as imagens do seguinte video podem ser muito impactantes


video

Nenhum comentário:

Postar um comentário